Translate

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Negócios compartilhados: como fazer o controle de acesso de pessoas

intelbras - controle de acesso de pessoas - negocios compartilhados
Os novos modelos de negócio como os aluguéis de casas feitos pela internet e direto com o proprietário e os coworkings, que são baseados no uso comum de espaços e serviços, trouxeram inúmeras vantagens como redução de custos, maior oferta e conexão de pessoas. Mas, com elas, também vieram desafios como o de garantir a segurança em seus ambientes. Neste ponto, o controle de acesso de pessoas é fundamental para conquistar a confiança dos clientes.
Saber quem entra e sai do espaço compartilhado de trabalho ou restringir o acesso do inquilino depois que o período de aluguel terminar dá tranquilidade não só aos donos dos imóveis mas também aos usuários.
Veja quais ferramentas podem ajudar os gestores de coworkings e locatários online de casas e apartamentos a tornar mais seguros seus escritórios e acomodações.

Soluções para o controle de acesso de pessoas

As soluções para o controle de acesso de pessoas, além de mais seguras, tornam a entrada e saída dos locais mais práticas e rápidas. Vamos falar de dois tipos: os sistemas de controle de acesso, ideais para os coworkings, e as fechaduras digitais, equipamentos muito úteis para o uso residencial.

Sistemas de controle de acesso para coworkings

Estes equipamentos ajudam também a identificar pessoas – o registro de quem entra no local é realizado pelo equipamento, 24 horas por dia, 7 dias por semana – e a gerenciar o fluxo de usuários, como por exemplo, controlar a entrada pelo período contratado ou limitar os dias e horários em que se pode ter acesso ao espaço.
O monitoramento pode ser configurado para diferentes permissões. É possível cadastrar um grande número de biometrias na entrada principal e liberar senhas e cartões de proximidade para acessos em algumas áreas internas mais específicas, como salas multimídias ou algum ambiente controlado.
Outro ponto positivo desse sistema é que se pode bloquear imediatamente a permissão de acesso de um cadastro biométrico, senha ou cartão. Isso é possível de forma rápida e sem mudanças físicas, já que o bloqueio é feito por meio de um software centralizado.
  • Solução para o gerenciamento de clientes: indicado para locais de alta circulação, controla até 5 mil usuários e 1,5 mil biometrias. É um controlador de acesso com display touch screen e abertura via senha, cartão de proximidade e leitor biométrico. Também é compatível com fechaduras eletroímã, eletromecânica, leitores e automatizadores de portão. Por meio da conexão com um software de gerenciamento é possível administrá-lo à distância, ou seja, você gerencia tudo remotamente;
  • Solução (apenas) para o controle de entradas: é ideal para controle de entrada e saída de pessoas em locais de pequena e média circulação (até mil usuários). O acesso pode ser feito por senha ou cartão de proximidade (RFID 125 kHz) ou ainda por acesso combinado (senha + RFID). É compatível com fechaduras eletroímã, eletromecânica e automatizadores de portão.

Fechaduras digitais para casas e apartamentos

Este é o item ideal para quem aluga sua casa, pois é possível adicionar ou remover o acesso de uma pessoa sem precisar trocar a fechadura das portas, evitando assim a preocupação caso o inquilino tenha levado a chave ou, até mesmo, feito uma cópia.
A fechadura digital é prática: dispensa o uso de chaves, liberando o acesso por meio de biometria, senhas ou cartões de aproximação. Existem modelos de sobrepor, que podem ser colocados junto a fechadura convencional, e também de embutir, todos com alarme anti arrombamento, sensor de porta aberta, função senha protegida e travamento automático.
  • Modelo de sobrepor com senha: sua abertura é feita através de 4 senhas em teclado touch screen, de 4 a 12 dígitos, sem precisar de chaves. Uma ótima opção para aqueles que desejam segurança e comodidade investindo pouco;
  • Modelo de sobrepor com senha e chaveiro de proximidade: possui como métodos de identificação a senha numérica (teclado touch screen de 4 a 12 dígitos), e chaveiro de proximidade. Permite o cadastro de até 4 senhas ou o uso de 5 chaveiros;
  • Modelo de sobrepor com senha e biometria: possui abertura por 4 senhas, teclado touch screen de 4 a 12 dígitos, e permite o cadastro de até 100 impressões digitais;
  • Modelo de sobrepor para portas de vidro: pode ser instalado em portas de vidro de até 10 mm com abertura para o lado direito ou esquerdo. A abertura é feita por senha no teclado touch screen (até 4 senhas) ou através do chaveiro de proximidade (até 100 cadastros). Serve para três tipos de instalação: vidro × vidro, vidro × alvenaria e vidro × madeira;
  • Modelo de embutir: tem todos os benefícios das demais fechaduras. A grande diferença é que esse produto é de embutir na porta e já vem com maçaneta reversível que deve substituir a maçaneta atual. Como é reversível, pode ser instalada tanto em portas que abrem para o lado esquerdo como lado direito. O acesso é liberado por senhas ou chaveiro de aproximação, e há versões ainda mais completas, com quatro modos de abertura: senha, cartão, biometria e chave física.
Quer saber mais sobre as novas tecnologias de controle de acesso de pessoas e outros sistemas de segurança corporativa e residencial? Continue acompanhando o nosso blog. Se tiver alguma dúvida sobre os produtos, deixe um comentário ou entre em contato.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Diferença: central de alarme monitorada × não monitorada

intelbras - central de alarme monitorada
Ao projetar um sistema de segurança eletrônica em casa, no condomínio ou na empresa, é preciso considerar a instalação das centrais de alarme. Estes equipamentos são fundamentais pois são considerados o primeiro produto voltado para a segurança de uma residência. Mas antes de escolher o equipamento, você precisa saber qual sistema aplicar e o mais indicado para o seu projeto, como uma central de alarme monitorada ou uma não-monitorada.
Ambas são compostas por sensores de variados tipos que emitem sinais quando detectam alguma ocorrência suspeita. Mas há algumas funcionalidades distintas entre elas, e entendê-las vai tornar a sua escolha mais assertiva.
Saiba mais sobre as especificidades de cada equipamento no texto e escolha a que melhor atende o seu projeto.

Central de alarme não monitorada

Com uma central de alarme não-monitorada, você mesmo é responsável pela segurança do seu sistema. Ao ser acionada por sensores, no caso de sabotagem ou invasão, a central emite um alerta. Porém, é o proprietário quem fica responsável pela verificação do aviso e poderá tomar as devidas providências, como chamar a polícia, por exemplo.
Para quem não quer contratar um serviço de monitoramento, em que será preciso pagar uma mensalidade, a central não-monitorada é a melhor opção. Nesse caso, basta configurar o equipamento para disparar os alertas nos números de telefone cadastrados.
Além disso, as centrais de alarme não monitoradas podem ser controladas à distância pelo comando por tons de duas frequências (Dual-Tone Multi-Frequency ou DTMF) utilizados na discagem dos telefones mais modernos. Com este comando, as centrais podem ser armadas e desarmadas diretamente no painel. É uma solução ideal para proteção patrimonial e pessoal de baixo investimento e alto desempenho.

Central de alarme monitorada

Vale novamente destacar que a central de alarme é o item que precisa de mais atenção na escolha do seu sistema de segurança, pois ela funciona como uma “central de inteligência”. Ele reúne as informações passadas por todos os recursos nela embutidos, e executa programação do seu sistema de segurança. Ou seja, este equipamento é o núcleo do seu conjunto de dispositivos.
O grande diferencial deste produto, em termos de eficácia, é o monitoramento 24h. Com este modelo, a segurança pode ser compartilhada com uma empresa terceirizada que acompanha os registros do sistema de alarme.
Basicamente, um alarme monitorado possui sensores que detectam a suspeita de invasão: uma sirene que faz barulho para chamar a atenção, um painel que aciona a sirene e envia os sinais para a central de monitoramento, além do meio de comunicação (linha telefônica, Ethernet ou GPRS) para transmitir os sinais gerados pelo painel ao dono do imóvel e à empresa de monitoramento contratada. A vantagem de se ter três maneiras de contato é que, se uma delas for interrompida pelo invasor, as outras duas garantem o envio/disparo do alerta.
Isso significa que, quando a central é acionada, um alerta é enviado para a empresa de segurança, que é responsável pelo monitoramento assistido e pela verificação de qualquer sinal de alerta no local. Quando isso ocorre, a empresa faz contato e envia profissionais especializados para averiguação. Esta é uma solução extremamente eficaz para proteger o seu imóvel.
Além do compartilhamento por tempo integral com a empresa de segurança, o usuário pode, por meio de um aplicativo instalado em um celular, visualizar o status da central e receber notificações atualizadas sobre os eventos, ativar/desativar o alarme, e ter acesso ao relatório de “problemas/sirene”, como por exemplo, falta de bateria, além de ativar o disparo de alarme via app no caso de coação (função Pânico).
Com o mesmo aplicativo ainda é possível programar o alarme apenas com o smartphone, sem a necessidade de códigos de programação e manual de produto, além de acionar dispositivos de maneira remota, como lâmpadas, portões, ar condicionado de qualquer lugar que o usuário estiver.

Vantagens da central de alarme monitorada

Ao optar por uma central de alarme monitorada, que são equipamentos mais completos, você terá benefícios como:
  • Monitoramento 24h por dia;
  • Equipe de apoio para ir até o local do disparo;
  • Ligar automaticamente para um ou vários números de telefone previamente programados. O aviso pode ser sonoro (discado por sinal) ou por uma mensagem de voz (discado por voz);
  • Módulo Ethernet (para transferência de dados via internet) para avisar do disparo, aumentando a segurança no caso de perda da linha telefônica;
  • Módulo GPRS (para transferência de dados nas redes GSM) para aumentar a segurança em caso de perda de linha telefônica e da internet, transmitindo o disparo para a central de monitoramento por dados;
  • Divisão de setores para identificação do local exato da invasão;
  • Controle via aplicativo para smartphone com diversos recursos, como por exemplo armar e desarmar a central de alarme pelo celular.
Independente do tipo de equipamento escolhido, há uma questão importante para lembrar: a instalação dos sensores e da central de alarme exige conhecimento específico de um instalador profissional. É ele quem irá considerar elementos como altura de instalação, forma de detecção e ajustes, entre outros. A consequência da má instalação pode ser uma frequência de disparos falsos, indesejados, ou ainda o comportamento imprevisível dos equipamentos de alarme, afetando a segurança ou causando inconvenientes.
Para mais informações sobre as centrais de alarme a Entre em contato conosco.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Como atrair clientes para seu negócio usando check-in no Facebook?

intelbras - checkin no facebook
Trazer benefícios para os clientes é uma estratégia que deve ser sempre lembrada e colocada em prática por qualquer empresa. E o Wi-Fi pode se tornar uma ferramenta poderosa para donos de negócios de diferentes segmentos – cafés, salões de beleza, bares, academias, clínicas, etc. Uma das formas de oferecer este benefício é por meio de check-in no Facebook, em que o cliente marca sua presença no estabelecimento e tem acesso direto à conexão gratuita, fazendo da empresa um hotspot(local onde uma rede sem fio está disponível para ser utilizada).
Além de melhorar a experiência do público, há inúmeros ganhos para os negócios. Mas como isso funciona? A seguir vamos falar sobre a importância de usar as redes sociais para impulsionar sua marca, como o check-in no Facebook pode atrair clientes, além de dicas para divulgação do benefício aos frequentadores, aumentando seu engajamento.

Por que usar o check-in no Facebook para impulsionar seu negócio

Está mais que atestado o poder das redes sociais para a divulgação de produtos e serviços e sua eficiência para o marketing digital. Diversas empresas utilizam o Facebook como ferramenta de negócios e muitas delas já conseguiram novos clientes através desta rede. Por isso, quem quiser ter sua marca reconhecida deve sim estar presente neste universo de curtidas, compartilhamentos e recomendações.
Porém, além da publicidade, a empresa também precisa, de fato, oferecer qualidade e criar um ambiente físico que atenda as expectativas do público, para assim atrair e fidelizar os clientes. O uso do check-in no Facebook para liberar o acesso à internet reúne estas duas estratégias, já que agrega valor ao ambiente e contribui para promover o local.
O fornecimento de internet de qualidade e gratuita se torna um diferencial para negócios: há conveniência para o cliente que se beneficia do recurso e ele, em troca, ajuda a divulgar o local para seus amigos. Como se torna parte da linha do tempo dos usuários, os amigos deles podem ver a atividade no feed de notícias e obtendo mais engajamento, a página também melhora no ranking do “Facebook Graph Search” e será mais fácil para as pessoas encontrarem o seu estabelecimento.

Mais vantagens

Além dos benefícios já citados, ao usar a estratégia de check-in no Facebook pode-se trabalhar a favor do marketing do estabelecimento, pois com a ferramenta é possível visualizar e analisar informações e gráficos da rede social e, com isso, conhecer mais sobre o perfil do público que frequenta seu negócio. Se bem utilizadas, essas informações podem instruir a comunicação e até mesmo representar insights para pensar como atendê-lo melhor.
E ainda há a possibilidade de:
  • Ajustar o tempo de navegação dos usuários – você define o tempo de utilização da internet em seu estabelecimento, que pode ser de 30 minutos, 1 hora ou até um dia;
  • Controlar o acesso a sites e servidores específicos – seus clientes não poderão acessar a sua rede interna privada, e você pode bloquear determinados sites.

Como compartilhar o Wi-Fi de forma segura

Se o seu negócio apenas oferece a senha do Wi-Fi, pode estar perdendo a oportunidade de ter sua marca divulgada espontaneamente. Mas não é só isso. Dividir a mesma senha por meio de um roteador comum não é a forma mais eficaz e segura de compartilhar a internet de uma empresa.
Para isso, existem equipamentos específicos, conhecidos como roteadores corporativos, que atendem às demandas dos donos de negócios e também dos clientes. Com esses produtos, é possível garantir um maior número de pessoas conectadas simultaneamente e ainda pode-se dividir o sinal em mais redes (uma interna e outra para o público, por exemplo).
A Intelbras tem em seu portfólio o HotSpot 300, aparelho que permite o compartilhamento seguro e eficiente do sinal de internet e também conta com a função Facebook Wi-Fi. Basta que o cliente faça check-in no estabelecimento por meio da rede social para liberar o acesso à internet, sem pedir a senha, e com controle da rede dos clientes feito separadamente do da rede corporativa.
Vale destacar que no mercado há soluções que apenas captam e-mails e muitos cobram mensalidade para manter o serviço funcionando. Com o HotSpot 300, a divulgação do seu estabelecimento é instantânea e sem cobranças adicionais.
Além do HotSpot 300, também há outros dispositivos que permitem o compartilhamento do Wi-Fi com os clientes, separando a rede pública da rede corporativa. São os access points, mas a diferença é que eles não possuem a função de check-in no Facebook.

Configurando o Wi-Fi para check-in no Facebook

O passo a passo é simples e as instruções completas para habilitar a função na página da empresa estão na própria página do Facebook. Mas os passos iniciais são estes:
  • Primeiro, é preciso que a empresa tenha uma página no Facebook e que você seja o (ou um dos) administrador(es) dela;
  • Depois, é necessário contar com um roteador corporativo compatível com a função, como o HotSpot 300;
  • Com o equipamento, faça o login no perfil da sua página na rede social;
  • Ative a opção de login com o Facebook e então siga o processo do assistente de instalação do seu roteador;
  • Após configurado o roteador corporativo, forneça o nome da sua rede Wi-Fi para seus clientes se conectarem.

Dicas para divulgar o Wi-Fi gratuito e ampliar o engajamento

É importante que a informação fique clara para que seu cliente tenha uma ótima experiência no seu estabelecimento. Para você divulgar e incentivar o uso do check-in no Facebook, pode trabalhar da seguinte forma:
  • Use um adesivo – oriente o cliente sobre o funcionamento do Wi-Fi. Ele pode ser impresso e colado em materiais diversos, como cardápios, ou em locais estratégicos, como mesas e outros espaços que você julgue atrativos;
  • Crie promoções – ofereça descontos em bebidas ou em algum prato em troca do check-in do cliente na sua fan page no Facebook;
  • Otimize sua página – adicione informações específicas do negócio, como fotos, identidade visual, horário de funcionamento, e-mail e telefone para contato. Aproveite também para fazer posts com novos cardápios, ações promocionais, entre outros formatos de publicação e interação que tornem atrativa a comunicação com seu cliente.
Pronto, com um roteador corporativo que possibilite ao seu cliente fazer check-in no Facebook, além de mais algumas dicas para divulgar o Wi-Fi gratuito, sua página pode facilmente se tornar mais conhecida na rede social. Se tiver alguma dúvida sobre o uso dos equipamentos, entre em contato com a Intelbras ou deixe um comentário!
Compre em uma loja autorizada: www.tecnologiadestaque.com.br 

terça-feira, 26 de junho de 2018

Veja as diferenças de resolução de imagem em CFTV

4k-resolucao de imagem
A evolução da tecnologia das câmeras de segurança ao longo das últimas décadas trouxe ao mercado equipamentos com diferenças na resolução de imagem. Mas o que isso quer dizer? Significa que hoje podemos encontrar produtos para CFTV (Circuito Fechado de Televisão) que oferecem maior qualidade e definição de imagem, podendo capturar pequenos detalhes em grandes áreas de cobertura.
E isso é um diferencial e tanto para o mercado de segurança. Poder contar com equipamentos que oferecem altíssima resolução de imagem faz toda a diferença. Tem dúvidas sobre o assunto? Sem problemas! Esse artigo vai te ajudar a entender as várias tecnologias disponíveis – HD, Full HD, 4MP e 4K (Ultra HD) – e suas características.

A resolução de imagem do HD ao 4K

De forma resumida, a resolução de uma câmera é medida pela quantidade de linhas e pixels que o equipamento usa para formar as imagens. Então, quanto maior esse número, mais nítidas elas são. Além de fornecer mais detalhes, as câmeras de grande resolução também oferecem mais angulação, cobrindo áreas maiores em relação às tecnologias antecessoras, ou seja, são necessários menos equipamentos para proteger o espaço.

HD

A resolução HD é de 720p. Nesses equipamentos, temos uma imagem que contém 1280 pixels de largura por 720 pixels de altura. Assim, as imagens HD fornecem 1 megapixel (1MP) de resolução.
Câmeras HD podem ser utilizadas em sistemas com sinal analógico (mas com gravação digital) ou IP (por cabos de rede ou Wi-Fi), e seu alcance médio e o nível de detalhes oferecidos não são grandes. Seu uso mais comum é residencial, em áreas internas e externas, em que não é necessário utilizar muito zoom nem cobrir grandes espaços, e também por ter um custo mais baixo em relação às demais.

Full HD

Evolução do HD, as câmeras de vigilância Full HD transmitem imagens de 1920 x 1080 pixels. Isso significa que tem resolução de 1080p ou 2MP. Também podem ser usadas em sistemas com sinal analógico ou IP, cobrindo áreas mais amplas e com um nível bem mais alto de detalhes.
Em áreas internas e externas de residências ou empresas, por exemplo, as câmeras Full HD podem identificar maiores detalhes contidos na cena, como exemplo o rosto da pessoa.

4MP

Seguindo a linha da evolução da tecnologia, tivemos outro salto de qualidade com a resolução de imagem 4MP. As chamadas câmeras 4 mega, tem 2688 x 1520 pixels. Já oferecem cobertura e detalhamento muito maior para as imagens, sendo uma solução mais voltada para grandes empresas, shoppings, supermercados, entre outros. Podem ser usadas em sistemas com sinal analógico ou IP.

4K (Ultra HD)

A tecnologia 4K ou Ultra HD é a mais avançada em termos de resolução de imagem. É a que apresenta a maior densidade de pixels (8MP), deixando a imagem em altíssima qualidade – mais nítidas, brilhantes e com variação de cores e contrastes – para reconhecer pequenos detalhes.
As câmeras 4K têm quatro vezes mais resolução que as Full HD. Um pessoa suspeita, por exemplo, mesmo tendo a imagem capturada de longe, pode ser reconhecida por detalhes da pele, tatuagem, cabelos e roupa, difíceis (ou até impossíveis) de serem notados a olho “nu” e em resoluções inferiores.
Vale ressaltar que no mercado de CFTV existem outros tipos de resolução como a 1.3, a 3, a 5 e a 12 megapixels, entretanto as mais conhecidas e difundidas no mercado brasileiro são as destacadas acima. Além disso, há outros fatores que influenciam na obtenção de uma melhor resolução de imagem, como zoom (speed dome), funções inteligentes, menu OSD, entre outros.

Soluções Intelbras

A Intelbras conta com modelos de câmeras em todas as resoluções mencionadas, inclusive 4K. Além disso algumas câmeras possuem funções inteligentes que auxiliam na perda de foco, mascaramento e detecção de movimento, sendo assim ideais para monitorar ambientes bem amplos. Estes modelos garantem maior abertura na imagem, adequando-se nas mais variadas aplicações, como estádios e áreas públicas.
Gerenciador e Gravador de Imagem – Vale lembrar que as câmeras de segurança com imagens de grande resolução como as 4K precisam contar com gravador específico (DVR e NVR), que reconheça a qualidade da mesma. Isso porque, quanto maior a qualidade, maior será também o tamanho dessas imagens. Assim será preciso um bom processador e mais espaço para armazenar os arquivos de vídeo.
Para saber mais sobre soluções em segurança acompanhe as atualizações do nosso blog. Se tiver alguma dúvida sobre produtos ou quer deixar alguma sugestão, deixe seu comentário abaixo ou entre em contato em um de nossos canais de atendimento.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Escola segura: como proteger os alunos

intelbras - escola segura

A cada ano, pais e tutores decidem qual a escola seus filhos irão frequentar. As razões que os fazem escolher por uma instituição ou outra são muitas: qualidade do ensino, estrutura física, proximidade com a residência, atividades extracurriculares, etc. No entanto, a segurança também deve ser um fator determinante. Afinal, contar com uma escola segura, seja qual for a idade da criança ou adolescente, traz muita tranquilidade.
Mas, de que forma é possível criar um ambiente que ofereça menos riscos para o aprendizado e desenvolvimento dos alunos da instituição de ensino? Neste caso, além do preparo dos colaboradores e de boas práticas para evitar acidentes e outras situações perigosas, investir em equipamentos eficientes faz toda a diferença para manter a escola segura e ganhar a confiança dos pais e responsáveis.
Vamos apresentar alguns itens importantes, que devem ser levados em conta por gestores e diretores de instituição de ensino que queiram melhor estruturar o ambiente, e também por pais e responsáveis na hora de decidir o lugar em que irá confiar a segurança da criança ou adolescente.

Quais equipamentos ajudam a manter a escola segura?

Controle de acesso

Saber quem pode ou não circular pela escola e controlar o acesso de carros e pedestres na instituição é um ponto bastante importante, senão o principal. É possível ir além das catracas tradicionais e utilizar um controle de acesso por tags ou cartões de aproximação, disponibilizando-os para alunos e pais, durante as entradas e saídas da instituição.
Além da entrada principal, algumas áreas internas também podem ter o acesso restringido. Piscina, cozinha e laboratórios são ambientes que podem apresentar riscos aos alunos e por isso também merecem atenção. Ao instalar um controle de acesso nestes lugares, apenas quem tiver a tag, o cartão ou a senha terá permissão para entrar.

Vídeo Monitoramento – CFTV

O sistema de segurança (CFTV) vai permitir o monitoramento de tudo o que acontece dentro e nos arredores da escola. Basicamente o sistema de CFTV é divido em três esferas: câmeras, gravadores (DVR e NVR) e softwares (gestão e visualização das imagens). As câmeras de alta definição permitem visualizar em diferentes ângulos as salas de aula, corredores, pátio, refeitório, laboratórios, área esportiva, estacionamento, e também os acessos principais da instituição e seus arredores.
Quanto maior a resolução das câmeras maior será a nitidez e qualidade de imagem, sendo possível, através do zoom digital, obter mais detalhes que em resoluções inferiores. Com elas também se pode visualizar com clareza imagens em movimento (por meio de recursos de varredura progressiva) e identificar detalhes, como rosto, tatuagens e objetos.
Para um sistema de vigilância completo, também é preciso instalar gravadores (DVRs ou NVRs) junto às câmeras. Assim, as imagens ficarão armazenadas e disponíveis para, posteriormente, serem revistas e caso seja preciso, averiguar detalhes de alguma situação anormal.
Monitoramento em tempo real – Algumas creches e berçários já estão permitindo aos pais e responsáveis acompanharem em tempo real as atividades em suas dependências através de softwares de monitoramento. Com câmeras ligadas à internet na parte interna, disponibilizam o acesso remoto às imagens por meio de login e senha. A visualização pode ser feita, inclusive, pelo smartphone.

Alarmes

Estes sistemas contam com sensores que detectam movimentações em horários e áreas não permitidos, emitindo um sinal de emergência através da sirene no próprio local, nos celulares cadastrados no sistema e dependendo do modelo da central de alarme, na empresa de monitoramento 24hs contratada pela escola. Esse tipo de sistema é indispensável, pois ele avisa antes que determinadas situações possam ocorrer.

Sistemas de incêndio

Este é um dos sistemas que merece especial atenção, uma vez que as consequências de um incêndio ultrapassam a questão dos danos físicos. Em sua maioria são irreparáveis, e causam perdas tanto social como econômica.
Como a circulação de pessoas em escolas é grande, a proteção deve ir além da sinalização e equipamentos básicos (extintores, luzes de emergência, escadas de emergência, mangueiras, etc). O mais indicado é que também possuam um sistema de alarme de incêndio. Eles funcionam em conjunto para detectar fumaça e fazer as sinalizações de alerta aos usuários que, por sua vez, deverão evacuar o ambiente em caso de perigo. Na hora de escolher, priorize centrais de alarme, acionadores manuais, detectores e sinalizadores, mas não esqueça da iluminação de emergência.
Em caso de incêndio ou de falta de energia, a iluminação de uma rota de fuga permitirá que a evacuação do local ocorra sem mais imprevistos. Certifique-se de que a iluminação será suficiente e adequada para permitir a saída da escola de forma segura e rápida.
Vale lembrar que a gestão responsável e atenção às boas práticas também é fundamental para manter a escola segura. Bons equipamentos e uma estrutura funcional auxiliam muito, mas a colaboração de professores, funcionários, pais e alunos é o que vai garantir a segurança de todos.
Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos e deixe nos comentários sua opinião ou sugestões sobre o assunto. Entre no nosso site www.tecnologiadestaque.com.br e confira todas as nossas promoções. 

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Radiocomunicador: uma forma eficiente de integrar equipes

intelbras - radiocomunicador - forma eficiente de integrar equipes
Comunicação rápida, fácil, de baixo custo e sem depender do sinal das operadoras de telefonia móvel: essas são algumas das vantagens do uso do radiocomunicador. Hoje, apesar da telefonia móvel ser a principal forma de contato, nem sempre é a melhor alternativa para alguns segmentos de empresas ou equipes esportivas, que precisam conectar seus integrantes com estabilidade e dispor de equipamentos mais ‘robustos’ para determinadas atividades.
Para não perder informações importantes durante o trabalho, nem perder tempo na tomada de decisão em uma competição, por exemplo, vale a pena contar com um radiocomunicador. Neste artigo, apresentamos os usos e as vantagens do equipamento.

Os diferentes usos do radiocomunicador

Segurança de shopping center, mestre de obras, organizadora de casamentos, praticante de rafting. São muitos os exemplos de profissionais que precisam do equipamento e as formas de uso do radiocomunicador. Quem busca este aparelho quer agilidade para se comunicar. Além disso, é possível manter as mãos livres para executar ao mesmo tempo outras tarefas com o uso de fones de ouvido – uma facilidade já inclusa em muitos destes equipamentos.
O radiocomunicador conecta as equipes de forma rápida, ajudando na tomada de decisão:
  • Em eventos – ganha-se mais agilidade na troca de informações entre as equipes de segurança, cozinha, técnica etc.;
  • Em empresas de instalação de equipamentos – há melhora nos atendimentos com a comunicação rápida dos atendentes com a central;
  • Na construção civil – em todos os pavimentos ou na entrada da obra, os profissionais podem trocar informações sobre o trabalho, ajustando demandas ou prevenindo situações de perigo;
  • Em equipes de segurança – a rápida comunicação entre os profissionais e entre eles e a central facilita o trabalho e ajuda a prevenir imprevistos ou a contornar situações complicadas;
  • Em equipes esportivas – a boa colocação em uma competição depende de decisões tomadas em segundos, assim como a segurança dos integrantes. Times de esportes de aventura, como rafting, escaladas ou de acampamentos ganham boa comunicação em áreas distantes.

Vantagens do radiocomunicador

  • Velocidade – com a comunicação em tempo real, não há necessidade de esperar chamar e o outro lado atender;
  • Eficiência – como apenas um usuário pode falar por vez, estimula um diálogo curto e objetivo. A duração média das ligações é de menos de um minuto, agilizando a comunicação da equipe;
  • Simplicidade – o equipamento é de fácil utilização, apenas sendo necessário apertar um botão para começar a falar.

Soluções Intelbras

A Intelbras conta com dois modelos de radiocomunicadores, para diferentes ocasiões – aventura, construção civil, eventos, segurança etc. Veja as características de cada um:
  • Twin Waterproof – ideal para esportes de aventura ou atividades próximas à água ou campos abertos. À prova d’água e resistente à poeira, o radiocomunicador tem alcance de 20 km entre montanhas e vales, de 7 km em mar ou lago e de 1 km em área urbana. É fácil de ser visualizado em caso de extravio, pois tem cor vibrante, display luminoso e ainda flutua na água. Opera em frequência livre para falar com qualquer outro aparelho, faz varredura de canais e conta com 121 subcanais para facilitar a comunicação. Funciona com bateria recarregável.
  • RC 5000 – ideal para equipe de obras, de segurança, de eventos, ou até mesmo para o lazer. Com carregamento fácil via cabo USB e recarga rápida em até 6 horas, pode ser conectado no carro ou no seu computador. Tem display luminoso, que permite visualização mesmo na escuridão total, e com a função Vox e o fone de ouvido incluso, não é preciso acionar a tecla PPT para acionar o rádio – o RC 5000 identifica a sua voz e encaminha para o destinatário, além de você escutar o áudio pelo fone, evitando barulhos no ambiente. Também tem alcance de 20 km entre montanhas e vales, de 7 km em mar ou lago e de 1 km em área urbana. Pode ser encontrado em embalagens com um, dois ou três produtos. Saiba mais sobre o RC 5000 nesse post.
Para saber mais sobre equipamentos de comunicação, acompanhe as atualizações do blog e as redes sociais da Intelbras. Se tem alguma sugestão de tema ou dúvida sobre os produtos, deixe um comentário ou entre em contato.
Compre pelo site www.tecnologiadestaque.com.br

Total de visualizações de página